Estudos buscam aprimorar a funcionalidade de tetos verdes

Ao eliminar áreas verdes para construir novos empreendimentos e rodovias, diminui-se a possibilidade de melhorar a qualidade do ar, de aumentar a impermeabilidade do solo e, como consequência, cresce o número de enchentes. Os telhados verdes oferecem algumas vantagens para esse problema (mas não resolvem essa situação, funcionando apenas como um método paliativo), como a diminuição de efeitos de ilha de calor urbano, do escoamento de águas pluviais e de custos de energia para os prédios.

Sabendo disso, dois estudantes novaiorquinos estão coletando amostras de solo de caixas plantadas com espécies de duas comunidades de plantas nativas: gramíneas típicas de regiões como Hempstead Plains e pastagens que crescem em picos rochosos no sul da Nova Inglaterra e de todo o estado de Nova York. A fim de tentar aumentar a eficiência dos telhados verdes, esses pesquisadores estão tentando identificar as espécies de plantas mais adequadas para esse tipo de telhado.

Um estudo de 2007, publicado na BioScience Journal, descobriu que os telhados verdes podem, potencialmente, ajudar a controlar o escoamento de águas pluviais, reduzir os efeitos da ilha de calor urbana e regular a temperatura de prédios e casas. Para oferecer esses benefícios, a vegetação da cobertura tem de ser capaz de sobreviver aos ventos fortes, à radiação UV prolongada e a alterações imprevisíveis da disponibilidade de água. A planta mais apropriada para essas circunstâncias são as do gênero Sedum.

Porém, essas plantas não sugam água de modo tão eficiente como as outras espécies e, em certa época do ano, elas começam a absorver o calor em vez de refleti-lo, afirma Scott Maclvor, doutorando em biologia na Universidade de York, em Toronto, Canadá. Segundo o pesquisador, as plantas do tipo Sedum não são as mais adequadas para ser ter num telhado, pois a prática não incentiva a biodiversidade de espécies de plantas. De acordo com as pesquisas de Maclvor, os telhados verdes oferecem mais benefícios quando são constituídos por uma diversificação de plantas que possam ser adaptáveis às condições locais.

Fonte: www.ecycle.com.br

Esta entrada foi publicada em Meio Ambiente e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>